Me vingo sendo feliz.

Acaricio a vida com os olhos, tudo o que for bonito até o que tem de mais feio. As diferenças me fazem perceber como o mundo é injusto e ao mesmo tempo tão perfeito. Reparo nos detalhes, onde quase ninguém chega, aquilo que quase ninguém vê. Mas sou dura, sou firme e ao mesmo tempo me derreto em pensamentos doces que somente eu posso entender.

Não me acho muito digna de elogios, nem sei me comportar diante deles. Mas não sou nenhum pouco daquilo que falam e querem que eu seja diante dos olhos de quem não me conhece. Esse mundo é vasto demais para falar das coisas e pessoas com pura convicção. 

Gosto do mistério que me rodeia, acho lindo não saber de tudo, de não conhecer todas as coisas e ter uma imaginação que vai além daquilo do que realmente é, de me fantasiar de coisas boas e com aquilo que não existe.

Vez ou outra caio no amargo convívio diário, outras vezes sou totalmente fácil de se entender. Mas existem momentos em que é preciso aproveitar a maldade que o mundo nos oferece de graça. E ainda sim, sou delicada demais para cometer qualquer tipo de agressão física e psicológica em alguém, a minha maior vingança está nas minhas entrelinhas. Me vingo sendo feliz e tenho certeza que mato muita gente por aí. 

Maíra Cintra

8 comentários:

Rafaela disse...

"Me vingo sendo feliz e tenho certeza que mato muita gente por aí"
PERFEITO!

Tátila disse...

Texto perfeito. Vingança é um prato que se come frio, então que lambuzem de palavras e morram de overdose delas.

Marina Cintra disse...

Demais!!! Adorei esse.. Bjs <3

Carolina disse...

Perfect

Carolina disse...

Perfect

Zane disse...

Sempre há dois lados. Amei o final. Muito lindo seu texto!!!!

inspiracaoentrelinhas.blogspot.com.br

Brunno Lopez disse...

Esse tipo de assassinato não dá cadeia, dá liberdade pra ser feliz por mais tempo que qualquer outra pessoa do mundo.

Bela argumentação.

Emanuelle Figueiredo disse...

Adorei, menina!
Me reconheci em vários trechos, assim como reconheci uma parte que eu havia perdido, mas que até me motivou a reencontrar.
Com certeza volto aqui mais vezes!

Eu escrevo pouco, até mesmo pela falta de tempo, mas se quiser ler alguma coisa, é só ir lá no blog, seria um prazer.

Beijo,
Manu!