Um dia eu pretendo descobrir


Tem dias que me sinto tão distante das coisas que quero alcançar, das coisas que venho buscando incansavelmente. Dos dias que nunca chegam, de algumas coisas que nunca terminam, de histórias que nunca começam. Eu queria poder acreditar por inteiro nas pessoas, mas infelizmente tive experiências ruins com isso. Eu queria que todas as promessas fossem cumpridas, que todas as saudades fizessem presença, que todas as lágrimas virassem sorrisos. Eu só queria que tudo começasse a dar certo.

Tem dias que eu só quero descasar, deitar a cabeça no travesseiro e ter mais tempo para pensar. Mas o tempo me consome e não tenho como esperar. As horas correm contra a minha vontade e quase não dá tempo de chegar. Tento equilibrar a minha ansiedade, desfazer das minhas vontades, atrasar os meus medos e diminuir os meus exageros. Por vezes atravesso as ruas só para ter a sensação de que chegando do outro lado, já estarei mais perto dos meus sonhos. Outras vezes como qualquer coisa só para tentar preencher esse vazio que deixaram em mim. Não é à toa, as coisas vão ganhando explicações ao longo do tempo e não existe outra pessoa que pode explicar além de nós mesmos.

É curioso a maneira como me comporto diante das minhas expectativas frustradas. O mundo é tão grande e me sinto tão pequena, frágil, incabível a qualquer lugar que estou ou que eu posso estar. Como se o meu corpo não pertencesse a esse mundo, como se as minhas escolhas não fossem corretas, como se tudo que eu fizesse perdesse o sentido diante de tudo que passou. Mas um dia eu pretendo descobrir, porque o que eu sinto é mais forte do que tudo que eu quero pra mim.

 Maíra Cintra

9 comentários:

Tamiris Borges disse...

Muito lindo, parabéns ;)

Ygo Maia disse...

Que lindo esse texto. Cheguei aqui por acaso e me deparo com uma obra de arte.
Parabéns mesmo...
Belíssimas palavras.

Abraços!!!

http://ymaia.blogspot.com.br/

Aline disse...

Exatamente como eu sinto :*) será que um dia a gente descobre por que se sente assim ??!! Parabéns Maíra

Anônimo disse...

Como sempre, muito bom. Uma honra ler seus textos.

Arianne Barromeü disse...

Maíra, quando você vai lançar seu livro mesmo? Você arrasa, mulher!

Beijos, Arih
eppifania.blogspot.com.br

leila disse...

Bem por acaso encontei seu blog (vi que você me seguia no tumblr e vim bisbilhotar um pouquinho e te encontrei)
Esse seu texto é lindo, e nem se trata de clichê, é tudo o que tenho sentido e então agente, anda, corre e corre, procura explicação e nada preenche, nada responde...

Anônimo disse...

Adorei seu mais novo texto. Confesso que tenho me utilizado de alguns para reflexão e compartilhar com meus amigos. Obrigado!!!

Kaká Maki disse...

Adorei seu Blog, muito lindo seu texto... Visite o meu também =D

http://rascunhosdekarinamaki.blogspot.com.br/

Obrigada!! bjinhos

Anônimo disse...

Me identifiquei muito com esse texto. Muitas vezes é exatamente assim que me sinto.
Vou acompanhar o blog.
Parabéns, Maíra.