O fim do nosso mundo.

Quando as palavras não vem, o rosto se fecha e os olhos se afogam. Quando o silêncio toma conta do nosso desespero, o nosso interior se desaba. O fim do mundo é todos os dias para quem sente muito, para quem demonstra pouco, para quem se esconde atrás de sorrisos que se desmancham ao entardecer.  O fim do mundo não é nada mais do que o nosso próprio interior se remoendo, se despedaçando, se desmanchando por algo que muitas vezes não sabemos nem sequer explicar, mas sentimos, sentimos muito mesmo por isso.

Podemos morrer afogados em lágrimas, podemos morrer queimados pelo orgulho ou podemos morrer com o coração congelado pelo nosso medo. Medo esse que muitas vezes nos impede de ir mais além, orgulho esse que muitas vezes nos impossibilita de nos dar uma nova chance, lágrimas que lavam a nossa alma e secam o nosso coração, assim sem nenhuma remediação.

O fim do mundo está diante dos nossos olhos, escorrega pelo nosso exterior e se esconde no nosso interior. Não há quem comprove tamanha catástrofe humana, não há quem explique profundo sentimento. O buraco é grande, sem tamanho e dificilmente será preenchido. Cada um carrega uma dor diferente, com intensidades diferentes e uma cicatriz que nunca se cura, sem profundidade internas e externas. Nós somos mortais a vida inteira, vivemos e morremos a cada dia sem uma explicação definida. Não há quem nos impeça de sentir. O fim do nosso mundo acontece todos os dias, aos poucos e, praticamente ninguém sente além de nós mesmos.

Maíra Cintra

11 comentários:

Graziele Santos disse...

Que lindo aqui! É triste perceber que de fato o fim do mundo acontece todos os dias e nós, meros mortais não nos damos conta disso.

Parabéns pelo teu canto, lindo demais aqui.

P.S.: Gostaria de postar alguns textos teu no meu blog, mas não há como copia-los. Poderia me enviar ele por e-mail? Colocarei teus créditos.

Um beijo, Graziele
http://lamiaparticolare.blostpot.com

Yohana Sanfer disse...

O fim do mundo é o descaso com o sentir...

bjs moça!

Brunno Lopez disse...

O mundo acaba e começa todos os dias, em diferentes graus e situações.
O segredo é saber se fortalecer quando as lágrimas caem e viver intensamente com os dias melhores.

Ótimo texto.

Poeta da Colina disse...

Já diria Oscar Wilde, "Viver é a coisa mais rara do mundo. A maioria das pessoas não faz mais do que existir."

Diogo disse...

Infelizmente não tenho palavras pra dizer o quanto eu amei esse texto. Você é fantástica! Escreveu tudo o que eu precisava e queria ouvir... Que o fim do mundo dentro de nós acabe!

Abraços,

Senhor dos Ventos.

Anônimo disse...

Amei, coloquei no meu face, com seu nome claro. Espero que não se importe. Abraços

Dulce Miller disse...

Que o Natal seja mais um momento em que todas as pessoas acreditem que vale a pena viver um Ano Novo. Boas festas, abraços de muita luz e paz! :)

A dona do Blog disse...

Isso é muito bonito! Está de parabéns! Me comoveu...
Estou seguindo o seu Blog.

Se puder dar uma olhada no que eu escrevo (é bem mais pessoal) ficaria agradecida.

Parabéns mais uma vez pelo trabalho :)

http://suchalifetimemovie.blogspot.com.br/

Kim Aniston disse...

Nossa! fq.encantada com os seus textos...confesso, a vc.me vi em quase todos eles...hehehe...
Poetisa, vc.é maravilhosaaaa!
É triste saber que o fim é todos os dias...
Belo, fds!
Beijos!

Hamilton Geremias salusse disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Sou o que não queria ser disse...

amei muito, não parode ler QUERIDA ES A MINHA FONTE DE INXPIRAÇÃO