Porta fechada, janela aberta.


Tenho que me desfazer dessa minha mania de deixar a porta aberta para entrar a saudade, sair a alegria e todo esse entra e sai de emoções e nostalgia. Não aguento mais esse meu jeito de ser durona e mole ao mesmo tempo. Não consigo ser ruim na mesma proporção que eu digo que sou, então, as pessoas entram de um jeito, saem de outro e ficam ilesas a todo mal que me fizeram. Me deixam aqui, machucada, sem cura, sem nada. Outras gostam tanto que permanecem intactas do começo ao fim, me curando com sorrisos, me esquentando com abraços e juntando todos os meus pedaços.


Percebi que deixar a porta fechada é melhor, quando alguém quiser entrar, que bata, que insista, isso é prova que o que tem pelo lado de fora vale a pena. Vou fechar a sete chaves que é para ter certeza de que ninguém irá arrombar. Derrubar. Roubar aquilo que eu mais prezo, o meu sentimento. Mas vou deixar a janela aberta para que tudo continue claro e evidente na hora das minhas escolhas. Também preciso de ar, do vento, da brisa que entra pela janela e espanta todos os meus medos, levam todos os meus desassossegos e me deixa em paz com os meus erros.

Eu vou continuar aqui com os meus pensamentos gritando para que eu faça algo. Até que eu reaja na luta contra mim mesma, até que acabe essa guerra de sentimentos, de momentos que se foram e me encontrar em momentos que estão por vir. Continuarei sempre aqui, apesar dos apesares, na espera de algo que me faça acreditar que o amor realmente existe. Continuarei a mesma, mesmo com a distância, mesmo mudando de rumo para chegar aonde eu definitivamente me encontre de verdade: dentro de mim.

Maíra Cintra

12 comentários:

Júnior Shin. disse...

É muito complicado... Certas coisas acontecem porque nós mesmos permitimos, nós mesmos de volta para certos caminhos...

O que muitos ainda fazem é culpar pessoas próximas, sendo que eles mesmos são os culpados. ;*

Vanessa_Oliveira disse...

Permita-se mais menina ^^
podem acontecer tristezas mas tbm acontecem muitas felicidades.
beijos mil ***

brilho de uma lembrança eterna disse...

Lindooo *-*
Tbm preciso me desfazer dessa mania ><
Mas no final a verdade sempre vem a tona, seja aquela dentro de nos, ou aquela daqueles ao nosso redor.

Monise Gabriely disse...

Uau! Simplesmente lindo teu texto, Maíra.

Lara Helena disse...

Também vivo nessa contradição. Adorei o texto!

Marina Cintra disse...

Sou suspeita para falar, então, deixo somente essa palavra: PERFEITO!

Bruna de Oliveira disse...

Não costumo comentar com essas palavras, mas não tem como: Me identifiquei demais! rs

Priscila Ramos disse...

Lindo , demais .


http://rascunhosperdiidos.blogspot.com/

Cinthia Dias disse...

Você tem toda razão, poucas pessoas escrevem assim, do seu jeito. Vou pensar muito depois de ler esse seu texto, me fez refletir muito. Parabéns!!

Sabrina Andrade disse...

Oi Maíra,
Adorei te ler. De verdade.
Eu queria muito fazer um comentário á altura do que eu senti lendo, mas vou ficar devendo! rs
Beijoos, seguindo ta ♥

saahandradee.blogspot.com

C.Q.C.M. disse...

Acho que olhar pela janela não é tão bom quanto atravessar a porta e sair para a rua, pela janela só é possível olhar, não dá pra interagir. Cada janela que se abre é uma porta que se fecha.

Bjos.

Mariana Sancar disse...

Que texto lindo! É, as vezes também fico a pensar, porque não deixar a porta fechada? Mas depois penso, que assim eu não estaria vivendo por inteiro...

http://saofatosdavida.blogspot.com/