"Eu Te Amo não é bom dia",

Não dizemos isso quando encontramos com alguém no café da manhã. Não é uma simples palavra que se pode dizer ao longo do dia e postar qualquer tipo de atualização na internet. Ao menos que seja para aquela pessoa que você ama de verdade, aquela que você tem uma relação há anos, seu namorado, sua mãe, seu pai, um irmão, um parente com quem você conviveu por muito tempo. Eu falo de laços carnais, nós apertados, não de enfeites frouxos. Não precisa ter o mesmo sangue, mas ter aquele olhar que quando se encontram não precisa de palavras para descrever o que o outro está sentindo, aquela intimidade de poder contar seus problemas, oferecer uma ajuda e chamar a atenção quando algo está errado. Eu Te Amo é feito de preocupações, intimidades e principalmente de convivência. É na convivência que conhecemos as pessoas e é com o tempo que vamos avaliando e reavaliando cada uma delas, escolhendo quem merece ficar na nossa vida ou sair definitivamente dela.
Eu acho ridículo quando se ama na primeira semana de um namoro, faz juras de amor, tira fotos e posta na internet para mostrar que está "feliz", com a intenção de atingir de alguma maneira um outro alguém. Quando você acaba de conhecer um amigo, o adiciona no orkut e manda um "EuTeAmuu" por depoimento. Quando um fã enlouquecido se declara de várias maneiras para seu ídolo. Depois acaba o namoro e você percebe que aquele cara só te usou, que aquela amiga não passava de uma grande interesseira e que seu maior ídolo mal sabe da sua existência. Você pára e percebe que tudo foi em vão.
Uma pena que uma palavra de sentimento tão escasso é exposta numa maneira tão explícita, quando deveria ser bem guardada para ser dita no momento certo e para a pessoa certa. Mas e você hoje, já beijou alguém de sua família e agradeceu à Deus por te dar uma nova chance? Estes sim, sabem da sua existência e sempre vão estar do seu lado quando você passar por todas essas decepções!

Maíra Cintra

7 comentários:

Guilherme disse...

Alguns saberes nos dói. Bom que são panos que servem de vela pra seguir outro caminho. Decepções nos são rota vivida que indicam outros caminhos.

Beijos...

Raphael Martins disse...

Adorei a postagem. Muitas vezes confundimos paixão com amor. Bjs!

Júnior Shin. disse...

Repito: Você escreve muito bem, Maíra.

Eu gostei muito do seu texto, curti a linha de raciocínio explicitando o quão vulgar se tornou a palavra ''amor'', digo palavra porque o sentimento em si ainda é único, porém, muitas vezes confundido agressivamente com outros sentimentos o que ocasiona essa vulgaridade...
Mais uma vez, seus textos são bem diretos e de fácil compreensão, tende a prender a atenção de quem ler.

Parabéns pelo blog. Beijo.

Ártemis Rae disse...

É aquela história de o "eu te amo" se tornar uma palavra vazia, sem qualquer sentimento...
"Eu digo de laços carnais, nós apertados, não de enfeites frouxos."
Muito bem descrito por você.

Escreveste o que eu tanto queria falar!
Muito bom mesmo!
Adorei!
xD

Bjo

Patrícia ♥ disse...

Tem selinho pra vc no meu Blog (:

Beijoos!!

http://pathyoliver.blogspot.com/2011/06/selinho-comemorativo-400-seguidores.html

Maíra disse...

Obrigada à todos!!!
Agradeço o carinho, são vcs que me dão ânimo para escrever!
Beijos

Marcilia Cardoso disse...

aaah Maíra, que texto maaais LINDO! Parabéns, você escreve muito bem ;]