Cicatriz

Carrego em mim uma visível cicatriz. E por traz dela meu coração remendado, que um dia foi costurado, literalmente rasgado. Para muitos esta marca não significa nada, mas para mim significa que um dia eu sobrevivi. E com ela vou viver, sem me importar por quantas vezes terei que morrer. E este coração todo remendado, que um dia foi costurado, vive cheio de esperanças, vive todo apaixonado, cheio de lembranças, mas vive apertado. De vez enquando ele sai do seu ritimo cardíaco, fica acelerado, mas ele volta ao normal assim que descançado. E este coração que bate, bate todo amargurado, já foi um dia pisado, e todo amarrotado se passou despercebido. E por isso que este coração todo remendado, que um dia foi costurado, que várias vezes foi pisado, cansou de ser maltrado. Decidiu não ser mais humilhado, resolveu ficar mais forte, resolveu não se importar, resolveu seguir seu caminho, decidiu se revoltar com todos aqueles que o machucar. E o meu coração ainda pensa: Alguém aqui é capaz de me curar?

Maíra Cintra

3 comentários:

Juliana disse...

Para essas outras dores no coraçao, o melhor remédio é o tempo. E um novo amor!
Beijos, prima

Taíse Marques disse...

Adorei o texto. Ficou com uma sonoridade bem interessante e as palavras simplesmente perfeitas! Muito verdadeiras :)

E se ainda não há alguém capaz de curar você, espera: logo, logo ele há de aparecer!
Beijo :*

. disse...

A cura das nossas dores que ainda queimam, é a nossa procura tão incansável. Mas lembre-se que a ferida que lateja, um dia cicatriza e isso só depende de ti. A dor passará, o alivio virá, mas a pele grossa onde ferida um dia foi, continuará ali, não esquecida, mas curada.
Um beijinho!